quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Quando Saint-Exupéry foi contrariado

Saint-Exupéry em o Principezinho diz:
" As pessoas crescidas gostam de números. Quando lhes falais de um novo amigo nunca perguntam o essencial. Nunca vos dizem: "Como é a fala dele? Quais os seus jogos predilectos? Colecciona borboletas?". Perguntam:" Que idade Tem? Quantos irmãos tem? Quanto pesa? Quanto é que o pai ganha?" E só depois disso julgam que o conhecem."
Na tarde de ontem Saint-Exupéry foi contrariado! Sim, que nos perdoe... Um grupo de mulheres juntou-se numa esplanada da nossa cidade de Angra do Heroísmo e, embora crescidas, como diz o célebre autor, não falaram de números, de idades de dinheiro , de peso nem dessas trivialidades usuais de reuniões idênticas e sabem porquê? Porque, como que por magia,  voltaram à sua juventude, à sua infância e falaram de amizades ausentes ou presentes, de professores, da querida e saudosa Escola Industrial, das aprendizagens que lá se efectuarem e que muito marcaram o percurso das respectivas vidas, da saudade, das brincadeiras e partidas que se faziam, dos funcionários que à altura não eram contínuos nem empregados mas amigos que se respeitavam...
As gargalhadas misturaram-se com um sentimento nostálgico de quem sabe que se neste mundo " cada um tem exactamente o que merece" , foram privilegiadas, mereceram um passado, uma escola e uma juventude que as marcou, reconhecem isso e estão gratas!
 
















Sem comentários:

Publicar um comentário